domingo, maio 09, 2010

Projeto bilionário tenta provar a existência das ondas gravitacionais

Os físicos esperam provar a existência de ondas gravitacionais - um fenômeno previsto na famosa teoria da relatividade de Einstein e que até agora não foi comprovado. A missão, chamada LISA, uma colaboração entre a Nasa e a Agência Espacial Europeia, irá utilizar três aeronaves voando em formação em órbita do sol contendo cubos de platina e ouro flutuantes. Os raios laser disparados entre as naves espaciais serão depois utilizados para medir as variações na distância entre cada um dos cubos, causada pelas ondas fracas de gravidade que a ondulação de acontecimentos catastróficos no espaço profundo.

A teoria de Einstein da relatividade geral previa que, quando grandes objetos colidem, como buracos negros, criam-se ondulações no espaço exterior e do fluxo do tempo. Estas ondas são chamadas ondas gravitacionais. Um painel de especialistas internacionais já estabeleceu um plano detalhado para a missão e como ela pode ser usada para revelar novos insights sobre o universo que nos rodeia. O professor Jim Hough, um especialista em ondas gravitacionais na Universidade de Glasgow e um membro da comissão que elaborou os planos, disse: "As ondas gravitacionais são a última parte da teoria de Einstein da relatividade geral que ainda tem de ser provada correta.

"Eles são produzidos quando objetos massivos como buracos negros ou estrelas colapsadas aceleram através do espaço, talvez porque estão sendo puxados para um outro objeto com maior força gravitacional, como um buraco negro maciço. Infelizmente não temos sido capazes de detectá-los, porque eles ainda são muito fracos. No entanto, as experiências novas que estamos trabalhando possuem um grande potencial para permitir a detecção." disse um cientista do projeto.

Os cientistas já foram capazes de provar algumas das previsões feitas pela teoria de Einstein da relatividade geral, incluindo que a luz é desviada pela gravidade. A gravidade viaja a uma velocidade constante, esse tempo pode ser distorcido pela gravidade e o espaço-tempo pode dobrar. Um projeto menor, inglês, chamado LISA Pathfinder, que está sendo construído por engenheiros na empresa EADS Astrium deverá ser lançado no próximo ano, e vai preparar caminho para a missão mais ambiciosa pois vai testar a tecnologia usada para detectar ondas.

Dr. Ralph Cordey, que a gerente de ciência e exploração do desenvolvimento de negócios da Astrium no Reino Unido onde estão construindo o LISA Pathfinder, disse: "Tentar medir eventos cósmicos como o colapso dos sistemas de estrela ou a colisão de buracos negros em todo o nosso universo exige tecnologia de ultra-alta precisão. "O objetivo principal é provar que essa tecnologia funciona, antes de tentar colocar três naves espaciais em órbita a uma distância de 5 milhões de quilômetros um do outro, ligados apenas por um feixe de laser que medirá suas posições com uma precisão de 40 milionésimos de um milionésimo de um metro. "
ESTA INFORMAÇÃO FOI:

0 Comentários sobre esta postagem::

Postar um comentário

Comentários inoportunos, idiotas ou ilegais não serão aceitos.