quarta-feira, agosto 25, 2010

Descoberto sistema estrelar com sete planetas em sua volta

Foi descoberto um sistema planetário semelhante ao nosso. Tem pelo menos sete planetas que orbitam em torno de uma estrela como o sol! Há também evidências de que, entre eles, há um planeta como a Terra, que teria o mínimo de massa entre os detectados até o momento. A descoberta foi feita por pesquisadores do European Southern Observatory (ESO).

As imagens foram captadas pelo Observatório La Silla, no Chile. Ele observou que os sete planetas que orbitam HD 10180, uma estrela semelhante ao Sol está localizado a 127 anos-luz de distância na constelação de Hydrus. Christophe Lovis, autor do estudo apresentado ontem no Observatoire de Haute-Provence, na França, resumiu: "Nós encontramos o que é provavelmente o sistema com o maior número de planetas descobertos até agora fora o nosso."

A equipe de astrônomos também coletou provas de que as distâncias dos planetas em suas estrelas seguem um padrão regular, que também é observada no sistema solar. "Esta descoberta destaca que agora estamos entrando numa nova era de investigação exoplanetária: o estudo dos sistemas complexos de planetas", disse Lovis. Para o estudo da estrela HD 10180, os astrônomos utilizados para seis anos o espectrógrafo HARPS, instalado no telescópio de 3,6 m do ESO. Depois de 190 medições, os cientistas detectaram a frente e para trás, movimentos de HD 10180, causada pelas atrações gravitacionais dos planetas.

Como resume o físico Guillermo Abramson do Centro Atômico de Bariloche/Instituto Balseiro: "sabemos com certeza a existência de planetas em torno de outras estrelas, o que até recentemente era pura conjectura. Alguns poucos foram fotografados, mas geralmente, a observação é indireta, como no caso deste sistema planetário. Astrônomos usam espectroscopia de detectar ligeiras mudanças de velocidade da estrela. Estas mudanças originam o rebocador na estrela produzindo os planetas girando em torno dele. "

Outro aspecto oferece astrônomo RobertoVenero: "Esta descoberta não seria particularmente importante se considerarmos que já descobriram 485 planetas que orbitam outras estrelas. No entanto, quando um sistema contém vários planetas, traz a difícil tarefa de compreender a formação planetária. "

Tudo é possível com a evolução da precisão dos instrumentos com os quais as medições são feitas. Sobre este ponto, o cosmólogo Bengoechea Gabriel argumenta que "o Observatório HARPS do ESO mostra o resultado da evolução tecnológica. O significado destes resultados não é favorável apenas para a astronomia. Há cada vez mais investigadores em exobiologia para quem estas observações podem ser de extrema importância. "
ESTA INFORMAÇÃO FOI:

0 Comentários sobre esta postagem::

Postar um comentário

Comentários inoportunos, idiotas ou ilegais não serão aceitos.