sexta-feira, maio 14, 2010

Em ano de eleição, entenda como os macacos fazem política

É um erro achar que o homem é o único ser politizado, ou que o tipo de atitude que nossa política utiliza, segue padrões totalmente diferentes de qualquer outro ser. As coisas não são assim. Os padrões utilizados pelo homem para lutas internas são sempre baseados em três fatores:

1- Intimidação dos adversários por demonstrações de qualidades,
2- Alianças entre machos e
3- Culto a personalidade do líder.

Gorilas e orangotangos realmente não possuem o mesmo padrão de lutas internas. Geralmente as lutas baseiam-se unicamente na conquista de fêmeas. Já os chimpanzés parecem imitar (de uma forma mais simplificada) os padrões de política interna de um grupo humano. Apesar de não terem uma linguagem sofisticada como a nossa, os chimpanzés são capazes de fazer complexas alianças para a manutenção, ou conquista de poder. O mais comum é a aliança entre irmãos, mas também ocorre de uma forma bastante numerosa alianças entre machos que no passado já foram acirrados inimigos.

Em Gombe, uma região africana onde a naturalista Jane Goodall passou cerca de quarenta anos pesquisando o comportamento dos chimpanzés, houve diversas lutas internas pela conquista do status alfa da comunidade. Um dos machos mais espertos nessa luta era Figan que teve seu reinado durante três anos. Figan, quando pequeno já demonstrava uma grande tendência de liderança, sua mãe, Flo, constantemente levava-o para o convívio com os machos líderes. Seu herói, nessa época, era Goliath que na ocasião era o alfa.

Quando adolescente, por volta dos sete anos, começou a seguir os machos líderes da comunidade, Mike, o alfa, e Humphrey. Constantemente tentava imitar todas as demonstrações de força que Mike fazia. Observava também como Mike agia para separar as brigas de subordinados, manter alianças e etc. Assim o jovem Figan foi aprendendo.

Ao chegar a idade adulta, aos doze anos, Figan inicia suas demonstrações de intimidações a outros machos. Batia em tronco de árvores, atirava pedras e brandia galhos enormes. Era realmente assustador, todos os machos tinham medo, com exceção de dois: O veterano Humphrey e o jovem Evered.

Humphrey e Evered transformaram-se nos maiores inimigos de Figan. Até mesmo por que Humphrey era muito esperto, a tempos passados traiu Mike e assumiu a posição de alfa. Humphrey naqueles momentos usou a confiança de Mike para atrai-lo a um local isolado onde foi deposto pelo amigo traidor encomunado com seus próprios inimigos. Evered era um jovem, assim como Figan, com tendências a liderança. Figan, para lutar contra seus inimigos aliou-se ao seu irmão Faben que sempre o cultuou. Após a morte de Flo, a mãe dos dois, os laços entre os irmãos ficaram maiores. Mas Humphrey e Evered também tinham seus aliados.

A guerra se desenrolou com várias lutas e artimanhas. Figan, muito esperto, iniciou uma aproximação com Jorreu, que era o maior aliado de Humphrey. Em um dia Figan foi visto dando o corpo de um macaco colóbo, caçado por ele, inteiro, a Jorreo. Uma semana depois, Jorreo atraiu Humphrey a um local onde estava Faben e Figan. Humphrey, instintamente, iniciou sua demonstração de intimidação esperando que Jorreo o acompanha-se. Mas esse o atacou e logo em seguida Figan e Faben, entraram na agressão. Humphrey, da mesma forma que traiu Mike, foi traído e deposto.

Figan tornou-se então o macho alfa e teve todos os privilégios alimentares, sexuais e etc. Dois anos depois Faben e Jorreo desapareceram misteriosamente. Figan ficou sozinho e seu poder começou a declinar em virtude das investidas de Evered e seus aliados. Figan, isolado politicamente, buscou o apoio de Humphrey, e novamente, Humphrey recebeu uma caça inteira dada pelas mãos de Figan.

Figan novamente tinha restaurado seu poder. Mas não por muito tempo. Em uma guerra externa, Figan e seus "ministros" foram atacados por tropas aliadas de duas comunidades inimigas Mitumba de Kalama. Figan, conseguiu fugir, mas Humphrey e outros foram cruelmente assassinados pelos inimigos externos. Figan novamente ficou sem apoio político, buscando esse em um jovem, Goblin, que o seguia desde seus primeiros dias de reinado. Assim, Figan manteve seu poder por mais um ano, porém Goblin o traiu e robou-lhe o trono.

Em toda essa história, podemos perceber os padrões "humanos" nas lutas internas dos chimpanzés:
1- Intimidação dos adversários por demonstrações de qualidades: Figan aprendeu a intimidar seus adversários imitando o antigo alfa, Mike.
2- Alianças entre machos: As alianças são nítidas. principalmente quando Figan dá carne a quem quer se aliar.
Também, em relação as alianças, podemos perceber algo de extrema curiosidade: Os machos buscam alianças principalmente de um irmão, tio ou sobrinho. Talvez para evitar as traições uma vez que na esfera familiar dos chimpanzés esse fato é raro.
3- Culto a personalidade do líder: Todos os machos que se aliaram a Figan, principalmente Faben, após as alianças passaram a cultua-lo.
ESTA INFORMAÇÃO FOI:

2 Comentários sobre esta postagem::

Anônimo disse...

muito bom post . somos os macacos pelados.

Anônimo disse...

Parece haver alguma confusão conceptual neste artigo. Mesmo que existam alguns comportamentos típicos da conquista e manutenção do poder, os macacos não fazem escolhas valorativas que reconheçam a existência de alternativas, muito menos constroiem plataformas de criação de significados comuns que permitam o entendimento pelo reconhecimento da relação diferença/semelhança entre eles. Como tal, não agem politicamente.

Postar um comentário

Comentários inoportunos, idiotas ou ilegais não serão aceitos.