segunda-feira, março 15, 2010

Livro Trata do Projeto SETI "o estranho silêncio: Estamos sozinhos no Universo?"



Análise do Livro: o estranho silêncio: Estamos sozinhos no Universo? Por Paul Davies Allen Lane.
(Idioma: Inglês/ Tradução: Não).

Estamos sozinhos no universo? Como Arthur C. Clarke disse uma vez, a resposta a essa pergunta, se sim ou se não, é absolutamente chocante. Fazem 50 anos desde que um astrônomo chamado Frank Drake apontou o primeiro telescópio de rádio para o céu, na busca por inteligência extraterrestre. Foi assim que o programa SETI começou, como um foguete na escuridão silenciosa do infinito, mas até hoje nenhum sinal de vida inteligente foi comprovado através deste programa.

Paul Davies quer acreditar que existe mais do que um misterioso silêncio lá fora. Ele é o presidente de um grupo do SETI, encarregado de decidir o que fazer no caso dos alienígenas tentarem fazer contato. Mas como cientista, ele é cético e acredita que isto é pouco provável de acontecer.

A comunidade científica está dividida entre aqueles que acreditam que a vida está em toda parte do universo e aqueles que acreditam que é extremamente rara ou inexistente em local diferente do nosso planeta pequeno e notável. Davies inclina-se para o último ponto de vista. A vida é tão complexa, acredita ele, que é quase um acaso, um milagre cósmico que nunca poderá ser reproduzido em qualquer lugar, mesmo que o universo seja infinito.

O SETI poderia ser o mais útil dos esforços, ou poderia ser o mais inútil. Qual seria a natureza da inteligência extraterrestre, supondo que ele existe? Davies aponta algo interessante que é perfeitamente viável... as civilizações existirem sem nunca desenvolverem uma cultura científica.

Ciência, tal como a conhecemos na Terra, não existiria segundo o autor, sem a combinação de investigação filosófica grega e monoteísmo.


"O ponto fundamental é que não devemos ter uma visão antropocêntrica de vida alienígena possível.
Nossa civilização não é mais antiga do que 10.000 anos, um piscar de olhos em termos cósmicos. Dificilmente existiria uma civilização de um milhão de anos ou mais antiga e avançada que não conseguiriamos imaginar." - Diz o livro.

Em tal contexto, então, por que outras civilizações usariam uma forma eletromagnetica, como uma estreita faixa de ondas de rádio que são obsoletas mesmo para os nossos padrões? A comunidade envolvida com o SETI perdeu o financiamento do projeto em 1993, a partir de então o projeto foi sustentado pela Microsoft melhorando a capacidade dos telescópios.

Um número significativo de outros desenvolvimentos têm encorajado os entusiastas Seti. Três milhões de pessoas pelo mundo se inscreveram para o programa "SETI @ home", que permitia ao público emprestar memória e energia elétrica para o programa freeware da SETI processar os dados e reenviar para a central.

O Livro de Davies traz tentativas para superar o abismo entre aqueles que acreditam Seti é um colossal desperdício de tempo e aqueles que acreditam que o contato intergaláctico é o nosso destino. Como ele observa, talvez nunca venhamos a encontrar vida alienígena, mas nunca saberemos sem vasculhar.
ESTA INFORMAÇÃO FOI:

0 Comentários sobre esta postagem::

Postar um comentário

Comentários inoportunos, idiotas ou ilegais não serão aceitos.