sexta-feira, março 26, 2010

Geneticistas tentam provar a ligação entre o Talibã e Israel

Dois geneticistas tentarão identificar se o principal grupo étnico que forma o Talibã, os pashtuns, tem "origens bíblicas" e se os seus membros são possíveis descendentes de uma das tribos perdidas de Israel. O israelita Karl Skorecki e a indiana Shahnaz Ali tentarão descobrir se existe algum vínculo entre os pashtuns e a tribo bíblica de Efraim, informou nesta terça-feira, o jornal "Yedioth Ahronoth".

Essa tribo era uma das dez que formavam o reino de Israel, conquistado pelos assírios por volta do ano 722 a.C. e cujos habitantes foram deportados por toda a região. Antigas crenças indicam que algumas dessas tribos chegaram até a Índia, onde conservaram as suas tradições durante centenas de anos, mas acabaram assimilados pela cultura local.

Por sua vez, os pashtuns, povo que vive no leste e no sul do Afeganistão e em diversas áreas do Paquistão, surgiram da região de Uttar Pradesh, no noroeste da Índia, não muito longe de onde supostamente foram assentados os israelitas deportados.

Entre os pashtuns, existem lendas que remontam a sua origem ao Egipto Antigo, tas lendas sustentam que eles realmente fugiram do Egito com Moisés e se integraram aos Israelitas. Para confirmar a possível relação, Shahnaz Ali comparará as provas genéticas que conseguiu no noroeste da Índia com as do israelita Skorecki, subdirector do Hospital Rambam de Haifa e o maior especialista mundial em genética judaica.

Trata-se do primeiro estudo científico para tentar confirmar ou rejeitar as lendas e tradições mediante a busca de evidências genéticas. A investigação, solicitada pelo Governo de Israel, durará ainda um ano e meia para ser concluída.

Em 2005, o Rabinato de Israel reconheceu a origem judaica de outra tribo indiana, os Lu-Shi, que se concentram numa região próxima a Uttar Pradesh. O seu nome - Lu-Shi - significa literalmente "Dez Tribos", e o Rabinato considerou, com base em provas científicas, culturais e religiosas, que os seus membros são os descendentes da bíblica tribo de Menashe, também conhecida como Tribo de Manassés, o irmão de Efraim.

Os dois seriam os únicos descendentes de José, filho favorito do patriarca Jacó, neto por sua vez de Abraão e que deu dupla herança territorial na Terra Prometida. Sem que exista nenhuma prova, o estreito parentesco entre as duas tribos - Lu-Shi e Taliban - poderia explicar em princípio a proximidade geográfica que os seus descendentes acabaram escolhendo para o exílio.

A Lu-Shi, uma "tribo" com entre 750 mil a 1,2 milhão de pessoas radicadas nas regiões de Mizoram e Manipur (nordeste da Índia), foi descoberta em 1979 por um rabino que se surpreendeu com os seus rituais judeus. Entre estes rituais destaca-se o direito de uma viúva sem filhos exigir do irmão do seu marido morto que lhe dê descendentes. Além disso, possuem uma bênção colectiva que declara: "Nós, os filhos de Menashe, ainda levamos o legado".

Graças à decisão do Rabinato, mais de mil dos agora chamados "Filhos de Menashe" foram amparados nos últimos anos pela Lei do Retorno ao Estado de Israel, em processo de nacionalização automática habilitada para judeus e os seus descendentes até a terceira geração. Se confirmada a hipótese, o Rabinato provavelmente extenderá a lei para os Pashtuns.

fonte: Angola Press

ESTA INFORMAÇÃO FOI:

0 Comentários sobre esta postagem::

Postar um comentário

Comentários inoportunos, idiotas ou ilegais não serão aceitos.